UFU e Federação Sul Americana de Krav Maga realizam seminário sobre prevenção contra a violência à mulher

Em função de relatos sobre ocorrências contra as alunas do campus, o Diretório Acadêmico da Universidade busca na defesa pessoal israelense uma forma de contenção da violência

No próximo dia 7 de novembro, as alunas e servidoras da Universidade Federal de Uberlândia participarão de um seminário de Krav Maga, a defesa pessoal israelense, que será ministrado por instrutores da Federação Sul Americana de Krav Maga, a única representante oficial da modalidade no Brasil, Peru e Argentina e detentora da marca Krav Maga no Brasil.

A violência contra a mulher é um problema de grandes proporções no Brasil, onde cada hora, 10 mulheres são vítimas de violência, dentro e fora de casa. O objetivo do curso é mostrar que, a partir de um comportamento defensivo e atento, as mulheres podem se tornar um importante agente no combate à violência.

Outro dado crítico é que ainda hoje é baixo o número de mulheres que chegam a denunciar as agressões, por vergonha ou medo.

Quando se fala em defesa pessoal, se fala em direito à vida. Quando as mulheres descobrem que, apesar de não ter a mesma força física do homem, ela é capaz de se defender (e a seus filhos) de forma simples e eficiente, com movimentos rápidos e eficientes, ela adquire confiança, tanto para se defender, quanto para denunciar o agressor.

Hoje, 30% dos praticantes de Krav Maga são mulheres – O Krav Maga foi criado na década de 40, por Imi Lichtenfeld em Israel, para permitir a qualquer pessoa exercer o direito à vida. Por sua eficiência, é praticado por militares e civis, homens e mulheres.

Trata-se de um modo de melhorar a percepção, de adquirir um comportamento mais atento nas ruas, em locais públicos ou mesmo em casa, quando há uma situação de risco com um parceiro agressor, por exemplo.

Não se trata de uma arte marcial, e sim da única modalidade reconhecida mundialmente com arte de defesa pessoal. No Krav Maga não há competições, campeonatos ou medalhas. O objetivo é que o praticante possa voltar para casa em segurança.

Com respostas simples, rápidas e objetivas, o Krav Maga possibilita que qualquer cidadão comum, independentemente de força física, idade ou sexo, possa se defender, mesmo que seu agressor seja maior, mais forte ou esteja armado.

Por meio dos treinos, o aluno aprende a superar obstáculos físicos e mentais e se torna uma pessoa melhor em todos os sentidos. O instrutor de Krav Maga é, antes de tudo, um educador que forma cidadãos de bem.

25 anos de Krav Maga no Brasil – Em janeiro de 1990, Mestre Kobi Lichtenstein, chegava ao Brasil para implementar a técnica que hoje já é praticada por civis e militares em todo o país. Ele fundou e hoje dirige a Federação Sul Americana de Krav Maga.

Mestre Kobi começou a praticar o Krav Maga aos 3 anos, com o criador do Krav Maga, Imi Lichtenfeld em Israel e foi o primeiro faixa-preta a sair do Estado de Israel, com a missão de difundir a modalidade.

Ao longo destes anos, Mestre Kobi vem realizando um trabalho extremamente sério e responsável, no intuito de manter o Krav Maga fiel à sua criação.

É por isso que o Krav Maga da Federação Sul Americana de Krav Maga é reconhecido mundialmente como um dos mais puros e fieis à obra de Imi Lichtenfeld.

Ainda hoje, o método de prática e de ensino da FSAKM é o mesmo criado por Imi Lichtenfeld e utilizado em Israel. Isso garante a qualidade do Krav Maga e a segurança de quem pratica.

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *