UFU assina termo para regularização de área ocupada no Glória

A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) recebeu, na noite desta quinta-feira (14/12), representantes do Ministério Público Federal, do Governo do Estado de Minas Gerais, da Companhia de Habitação do Estado de Minas Gerais (Cohab), da Associação de Moradores do Bairro Élisson Prieto e da Defensoria Pública da União para a assinatura do termo de compromisso sobre o processo de regularização fundiária da área do triângulo do Glória, em Uberlândia.

A partir da assinatura do termo, a Cohab assume a regularização. O cadastro das pessoas que vivem na área ocupada no Glória será vistoriado pela companhia, que na sequência fará a certificação das famílias. Elas receberão o documento de posse da área e, depois, serão emitidas as escrituras.

“Agora vamos à ocupação oficializar a entrada da Cohab, para que possamos finalizar a parte cadastral, definindo quais famílias são beneficiárias dessa regularização”, disse o presidente da companhia, Alessandro Marques. A regularização de documentos está prevista para começar em janeiro. A UFU vai ceder estagiários para ajudar no cadastramento das famílias para fazer a regularização.

Porém, para que a Cohab comece a atuar dentro do Glória, a Prefeitura Municipal de Uberlândia precisa assinar um documento atestando que aquela área é de interesse público e não é uma área de proteção permanente.

“Essa era uma questão extremamente difícil. Trata-se de uma experiência totalmente nova para a UFU”, disse o reitor Valder Steffen Júnior. “Os gestores anteriores fizeram todo o possível para tentar resolver a questão, entretanto, havia alguns impedimentos legais”, completou.

O procurador Leonardo Andrade Macedo declarou que o Ministério Público Federal entende que o direito à moradia deve ser garantido dentro das políticas públicas estabelecidas. “Até o início deste ano não se vislumbrava uma solução clara para esse imbróglio [do Glória] na forma da lei. Essa solução surgiu com uma alteração legislativa, a Lei 13.465 [que dispõe sobre a regularização fundiária rural e urbana], por força de conversão da Medida Provisória 759”, explicou.

“Foi fundamental o apoio da UFU, que desde o início apontou esse caminho, da Cohab e do Estado de Minas Gerais que, exercendo seu papel, assumiram para si o imenso desafio de promover a regularização fundiária urbana daquela área”, disse Macedo. “Da mesma forma será fundamental o papel do município de Uberlândia, porque a lei lhe atribui o papel de aprovar a regularização fundiária e também implantar os equipamentos comunitários para prestação de serviços públicos”, finalizou o procurador.

De acordo com o advogado da Pastoral da Terra, Igino Marcos da Mata de Oliveira, que representa as famílias do Glória, a necessidade mais urgente é o fornecimento de energia. Na sequência estão os serviços de água, esgoto e asfalto. “Agora a expectativa é de que o Glória seja um exemplo para o Brasil”, declarou.

A presidente da Associação de Moradores do Bairro Élison Prieto (como também é chamada a área ocupada no Glória), Minéia Nunes de Souza, acredita que a assinatura do termo foi um passo fundamental. “Hoje foi oficialmente concretizado nosso sonho. A gente teve muitas promessas. Aí já era despejo. E hoje não. Diante dessa mesa, na universidade, a gente se sente mais tranquilo e confiante que agora o processo vai avançar e que enfim as famílias vão poder ter sua posse, ter sua dignidade garantida”, comemorou.

A UFU ainda vai pleitear que os R$ 7,4 milhões depositados em conta judicial no ano passado para que fosse feita a reitegração de posse sejam destinados ao Hospital de Clínicas de Uberlândia (HCU/UFU). A instituição buscará também o recebimento da posse de outras áreas em contrapartida à doação da área do Glória. A prioridade é a Fazenda Capim Branco, que pertence à União e é utilizada pela UFU na forma de comodato por prazo determinado. “Nós desejamos que essa área possa ser transferida da União para a UFU de forma definitiva”, disse Steffen. Outra área almejada pela universidade é a Fazenda Água Limpa, que pertence ao município de Uberlândia e também já é utilizada pela UFU.

As dúvidas sobre os próximos passos da regularização fundiária do triângulo do Glória podem ser esclarecidas no site da Cohab.

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page