Mineira vira ‘Neta de Aluguel’ para ajudar quem tem dificuldade com tecnologia

A criatividade de uma publicitária de 28 anos, aliada a necessidade de quem precisa se adequar às novas tecnologias fez surgir uma nova modalidade no mercado de trabalho: a “Neta de Aluguel”.

O projeto, desenvolvido em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, consiste em ajudar as pessoas,  principalmente idosos, a navegar na internet e usar as redes sociais.

Bruna de Campos Barreto, de 28 anos, largou o emprego em uma agência de publicidade há pouco mais de um mês para se dedicar exclusivamente ao projeto de neta de aluguel. Bruna conta que sempre foi referência em tecnologia para familiares e amigos.

“Meus pais compraram um smartphone e eu que ensinei a mexer. Minha avó comprou um notebook e eu que ajudei também. Ela tinha facebook e adorava a jogar paciência”, conta.

Com a avó ela percebeu que era importante fazer anotações do passo a passo para cada função. Bruna conta que a avó esquecia muito o que era ensinado e sendo assim ela tinha as anotações para se lembrar.

Foi em julho do ano passado que ela fez  um flyer e começou a divulgar perto da sua casa para os moradores o trabalho da “Neta de Aluguel”.

O número de alunos foi aumentando e ela não conseguiu mais conciliar o trabalho em uma agência de publicidade com o serviço de ajuda digital. Foi então que ela decidiu se dedicar somente ao “Neta de Aluguel”.

Alugou um espaço e atualmente tem sete alunos e eles tem uma faixa etária entre 28 e 87 anos. Inicialmente a ideia era ajudar os idosos, mas o público foi se diversificando.

“Cada aluno tem um objetivo diferente. Meu aluno de 28 anos, por exemplo, é músico e pediu ajuda para divulgar o trabalho dele nas redes sociais. Não é só para idoso, é para quem tem qualquer dificuldade e quer fazer sozinho”, explica.

Dificuldades

Segundo Bruna, as maiores dificuldades dos alunos é a memorização para realizar as funções. Com isso, ela entrega um material de apoio para que eles consigam realizar os trabalhos sozinhos. O celular é o que causa mais dificuldades. Eles lutam para enviar mensagens seja de SMS ou whatsapp e também para enviar fotos e adicionar contatos.

“Tem quem use os ensinos para o trabalho e outras para diversão. E as vezes as duas coisas se misturam, a pessoa aprende a mexer no whatsapp tanto para diversão quanto para o trabalho”, justifica.

Para Bruna a experiência do neta de aluguel é desafiadora e incrível. “É muito gratificante ver o desenvolvimento da pessoa. Ela não conseguia por exemplo preencher uma tabela e de repente ela consegue. É importante você contribuir com o desenvolvimento e independência das pessoas”, conclui.

Paciência é motivação para alunos

O advogado aposentado Eduardo Elias de Lima, de 64 anos, teve um problema de saúde e perdeu parte da memória com isso ele passou a ter dificuldades com a tecnologia.

“Eu não estava conseguindo mexer no computador, porque esquecia os comandos. A Bruna fez um passo a passo para mim e com isso eu ia recordando e dando conta de fazer as coisas”, conta.

Segundo ele, atualmente ele usa a internet e as redes sociais principalmente para se comunicar com a filha que mora fora do Brasil.

“Eu gosto de estar conectado, de mandar fotos e vídeos para a minha filha. A Bruna tem muita paciência e isso faz toda a diferença para uma pessoa de 64 anos lidar bem com a tecnologia”, conclui.

otempo

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page