Mais de 30 espécies do Cerrado podem ser vistas em museu no Parque Siquerolli

Já imaginou estar ao lado de uma sucuri de 5,5 m ou de uma onça parda tendo somente uma corda separando você do felino? Tudo isso pode acontecer no Museu da Biodiversidade do Cerrado (MBC), que fica dentro do Parque Siquerolli. No espaço, cedido pela Prefeitura de Uberlândia à Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e aberto à visitação do público, existem mais de 30 espécies de animais da região taxidermizados. Entre eles, um tamanduá bandeira adulto e um filhote, símbolos do museu.

O MBC tem como missão divulgar o conhecimento científico acerca da biodiversidade do bioma Cerrado e suas inter-relações com outros biomas do Brasil e do mundo, realizando ações de popularização da ciência e extensão universitária.

Animais expostos

Em um dos cantos do local, os visitantes podem ver a pele de uma sucuri de 5,5 m e com mais de 30 anos de idade. “É o que chama mais atenção por aqui, principalmente pelo tamanho. Além de ser um animal que desperta a curiosidade de adultos e crianças”, disse a técnica em educação ambiental Dóris Vasconcelos. Outras serpentes existentes no museu são a jararacuçu e a jibóia.

Além disso, estão expostas diversas aves, como gavião, corujas e o carcará. Existem também répteis como jacarés. Dóris afirma ainda que as crianças também se divertem com os exemplares de jaguatirica, cachorro do mato, raposa, tatu canastra e uma grande quantidade de insetos expostos no museu.

“Todos os animais que aqui estão foram encontrados mortos e levados para o Instituto de Biologia da UFU, onde passaram pelo processo de taxidermização e foram trazidos para o parque”, explicou Dóris.

Taxidermia

A taxidermia, popularmente conhecida pelo termo “empalhar”, é a arte de montar ou reproduzir animais para exibição ou estudo. Esta técnica preserva a forma, as características físicas, o tamanho, a posição natural dos animais de acordo com padrões e normas científicas.

Aprendizado

Jandira Pereira aproveitou um tempo livre na agenda e levou o neto João Lucas, de dois anos, para um visita no museu. Ela conta que já esteve no local anteriormente e resolveu levar a criança para passar um pouco do conhecimento da biodiversidade do cerrado. “É uma boa opção para despertar a curiosidade das crianças, ainda mais mostrando esses animais que se tornam cada vez mais difíceis de serem vistos devido aos desmatamentos, queimadas e atropelamentos. Daí a importância de preservarmos a natureza”, afirmou.

Visitação

O Museu da Biodiversidade do Cerrado no Parque Siquerolli fica aberto de terça a domingo e feriados, das 8h às 17h30. O local é aberto à visitação do público e grupos interessados podem agendar a visita por meio do telefone (34) 3212-1692. O parque conta ainda com uma trilha e outras exibições, como o canto da abelha e uma casa de pau a pique. O Parque Siquerolli fica na avenida Nossa Senhora do Carmo, 707, bairro Jardim America.

SECOM

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page