Mãe pede ajuda da polícia para evitar morte de filho no Baleia Azul

A preocupação com a vida do filho de 18 anos levou uma moradora de Leopoldina, na Zona da Mata, a procurar a polícia e pedir ajuda. Ela descobriu que o jovem está participando do desafio da Baleia Azul.

A mãe foi a uma delegacia, na última quinta-feira (13) e relatou que, inclusive, encontrou cortes no braço do filho.

O delegado André Lima já abriu um inquérito para investigar se o rapaz sofria ameaça e se foi coagido a entrar no grupo. O jovem e a pessoa que o teria introduzido no jogo serão ouvidos nos próximos dias. A polícia não detalhou como os rapazes se conhecem.

O jogo “Baleia Azul” começou na Rússia e consiste em incitar os participantes, geralmente em grupos secretos no Facebook, a completar 50 desafios, que conduzem lentamente à morte.

Ao entrar no grupo, o jogador recebe tarefas do administrador, que envia as mensagens normalmente às 4h20. No começo, as determinações são mais simples: desenhar uma baleia em uma folha, passar a noite em claro ouvindo música triste ou vendo filme de terror.

Depois, elas vão ficando mais perigosas: os participantes são ordenados a tatuar uma baleia no braço com uma faca ou uma lâmina de barbear.

O jovem que decidir deixar o jogo antes de concluir os 50 desafios é impedido pelo curador – administrador -, que ameaça os participantes. Essa intimidação ocorre da seguinte forma: o responsável pelo grupo mostra o endereço residencial do participante e de seus familiares e declara que se ele sair do grupo, todos serão mortos.

otempo

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page