Lua e Marte oferecem espetáculo aos observadores nesta sexta-feira

O eclipse lunar total mais longo do século XXI tingirá de vermelho o satélite da Terra nesta sexta-feira (27), enquanto Marte, que estará em seu ponto mais próximo ao nosso planeta em 15 anos, ficará especialmente brilhante.

Para cerca de metade do mundo, a lua estará parcialmente ou totalmente na sombra da Terra de 17h14 a 23h28 GMT (14h14 a 20h28 em Brasília) – seis horas e 14 minutos no total.

O período de eclipse completo – conhecido como “totalidade”, quando a lua parece mais escura – vai durar de 19h30 às 21h13 GMT (16h30 a 18h13 em Brasília).

“A totalidade durará 103 minutos, o que o torna o mais longo eclipse do século 21!” disse a Royal Astronomical Society, em Londres.

Ao mesmo tempo, Marte irá pairar perto da lua no céu noturno, facilmente visível a olho nu.

Os astrônomos amadores do hemisfério sul estarão melhor posicionados para desfrutar o espetáculo, especialmente os do sul da África, Austrália, Índia e Madagascar, mas o fenômeno também será parcialmente visível na Europa e na América do Sul.

– Corpos celestes se alinham –

Um eclipse lunar total acontece quando a Terra se posiciona em uma linha reta entre a lua e o sol, tapando a luz solar direta que normalmente faz o nosso satélite brilhar com um amarelo esbranquiçado.

A lua viaja para uma posição similar a cada mês, mas a inclinação de sua órbita faz com que ela normalmente passe acima ou abaixo da sombra da Terra – então, na maioria dos meses, temos uma lua cheia sem um eclipse.

Quando os três corpos celestes estão perfeitamente alinhados, no entanto, a atmosfera da Terra dispersa a luz azul do sol, enquanto refrata ou curva a luz vermelha sobre a lua, geralmente dando-lhe um rubor rosado.

Isso é o que dá ao fenômeno o nome de “lua de sangue”, embora Mark Bailey, do Observatório de Armagh, na Irlanda do Norte, afirme que a cor pode variar muito.

Depende em parte de “quão turvas ou transparentes são aquelas partes da atmosfera da Terra que permitem que a luz do Sol chegue à Lua”, disse à AFP.

“Durante um eclipse muito escuro a lua pode ficar quase invisível. Eclipses menos escuros podem mostrar a lua como cinza escuro ou marrom (…), como cor de ferrugem, vermelho-tijolo, ou, se muito brilhante, vermelho-cobre ou laranja”, acrescentou.

A longa duração deste eclipse se deve em parte ao fato de que a lua fará uma passagem quase central através da umbra da Terra – a parte mais escura e central da sombra.

Nosso satélite também estará no ponto mais distante de sua órbita da Terra, fazendo com que seu movimento pelo céu fique mais lento de nossa perspectiva, passando assim mais tempo no escuro.

Marte provavelmente aparecerá como uma estrela muito brilhante, e os observadores não precisarão de equipamentos de proteção.

“Se você quer uma vista de perto da lua quando esta se tornar vermelha, um par de binóculos será útil”, aconselhou a Royal Astronomical Society.

“Todos os eclipses são espetaculares”, acrescentou Robert Massey, desta organização. “No meio de um eclipse lunar, pode parecer que um planeta vermelho passou a residir perto da Terra”.

Nosso planeta vizinho aparecerá extraordinariamente grande e brilhante, a apenas 57,7 milhões de quilômetros da Terra em sua órbita elíptica em torno do Sol.

“Temos uma rara e interessante conjunção de fenômenos”, disse Pascal Descamps, astrônomo do Observatório de Paris, à AFP.

“Devemos ver uma tonalidade vermelha acobreada na lua, com Marte, o ‘Planeta Vermelho’, logo ao lado, muito brilhante e com um leve tom alaranjado”.

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page