Invictas, UnB, do DF, e Celso Lisboa, do RJ, conquistam o ouro da LDU de Futebol 7

No masculino, UFRN-RN é prata e UFC-CE bronze; no feminino, a UFRN-RN levou a prata e a UFC-CE o bronze

Na manhã do último sábado, 24, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e a Universidade de Brasília (UnB) entraram em campo para disputar o ouro masculino na Liga do Desporto Universitário de Futebol 7, realizada em Uberlândia. Os dois times já se conheciam. Se enfrentaram na última quinta-feira. Resultado: 1 a 1. Aquela partida poderia ser interpretada como um presságio da final, digna das duas únicas invictas do campeonato. Naquele dia, o placar somava um ponto à classificação de cada equipe. Agora, após empate, teriam que decidir o título nos pênaltis.

Ao sol do quase meio-dia, os jogadores se organizavam para as cobranças. Guilherme e batedor. Corrida lenta em direção à bola. Chute. Defesa do goleiro de Brasília. Enquanto o time azul gritava em comemoração, os norte-rio-grandenses levavam as mãos à cabeça. Era apenas a primeira penalidade, nada estava perdido.

Arthur e batedor. Pressão. Finalização brasiliense. Defesa do goleiro do Rio Grande do Norte. Mais uma vez, a UFRN estava de volta ao jogo. Em seguida, seis cobranças foram seguramente convertidas. Outra vez: Guilherme e batedor. Silêncio na arquibancada. O chute. E a defesa. Agora, se a UnB marcasse, era ouro. Bateu. E marcou. Brasília conquistou, com quatro resultados de empate em quatro partidas ao longo do campeonato, a vitória na Liga do Desporto Universitário de Futebol 7 de 2017.

Mateus Chiarini, responsável pelos gols dos empates de sexta e sábado, afirma que a sensação é única. “Essa é a minha quarta LDU. Já cheguei na final e errei pênalti. Hoje, fazer o gol do empate, e converter também o pênalti, é inexplicável”, celebra.

A briga pelo bronze aconteceu em seguida, entre o Centro Universitário de Brasília (CEUB) e a Universidade Federal do Ceará (UFC). Com o dobro de gols, a UFC garantiu mais um ano entre as três melhores equipes do Futebol 7 da LDU, após vencer a equipe brasiliense de virada por  10 a 5.

Celso Lisboa-RJ comemora campanha no Futebol 7, categoria feminina

A partida que abriu as disputas do feminino aconteceu entre a dona da casa, a Universidade Federal de Uberlândia (UFU), e a carioca Celso Lisboa. Não valia o levantamento da taça, pois as meninas do Rio já haviam conquistado o primeiro lugar – isolado – no campeonato de pontos corridos.

Um encerramento com chave de ouro. No gramado sintético, a excelente atuação da Celso Lisboa não surpreendeu. Enorme superioridade em relação a qualquer oponente da LDU feminina de Futebol 7. Poderia perder o último jogo e, ainda assim, levaria a medalha dourada para casa.

Na segunda etapa, apenas um gol. Os outros seis, todos convertidos no primeiro tempo. Dizem, alguns adeptos à numerologia, que sete é o número da perfeição. Talvez, por isso, as cariocas tenham parado por aí. Sete gols marcados. Nenhum vazamento.

A camisa 10, Fernanda Clara, reconhece que o trabalho em equipe foi decisivo. “Sem as minhas companheiras eu não teria marcado três gols hoje”. E valoriza o resultado conquistado. “Tenho 30 anos e o meu primeiro título numa competição tão grandiosa foi no JUBs, em 2008. Fomos campeãs lá em Maceió. O sabor dessa LDU fica muito especial”.

No sistema de competição por pontos corridos, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte levou a prata e a Universidade Federal do Ceará o bronze.

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page