Escutamos o nosso inconsciente?

Os nossos sentimentos são reais ou é algo que imaginamos e criamos na nossa cabeça? E o que é real? Como podemos definir efetivamente o que sentimos? O que devemos levar em consideração e o que podemos descartar?

Acredito que muitos que estão lendo esse texto em mais de um momento já sentiram algo muito forte que deveriam realizar ou fazer e por algum motivo não o fizeram. As desculpas pouco importam já que são únicas e pessoais.

meditação 3O fato é que diariamente sentimos algo em relação as nossas vidas e não tomamos as ações que deveríamos, simplesmente porque não acreditamos no poder que temos dentro de nós. Os sentimentos “inexplicáveis” podem vir por meio de sinais, contato com outras pessoas, algo “sem sentido” que veio a nossa mente, ou que ouvimos, enfim qualquer coisa do tipo.

Realmente não é fácil identificar esses sinais ou mesmo racionalizar sobre o que deve ser feito. Exatamente porque esse chamado para a ação é do nosso inconsciente que é algo muito mais forte do que a nossa razão.

Pense com você agora o que te mantém vivo, em pé ou sentado lendo esse texto. É o seu consciente que está comandando isso: a sua respiração, os seus movimentos de olhos, da cabeça, o seu pé no chão ou o ato de sentar na cadeira. Você pensa em fazer tudo isso em milésimos de segundo? Ou é o seu inconsciente, silencioso, que domina isso tudo num prazo muito rápido e sem você perceber.

Ele não está fazendo só isso. Também está filtrando diversos outros sinais de seu corpo, do ambiente e das outras pessoas que convivem com você. Acredito que você já tenha percebido nem que seja em alguns poucos momentos, algo como o “ambiente pesado” ou mesmo ouvido de alguém que “não fui com a cara de tal pessoa”.

Não digo aqui de julgamentos ou estereótipos que criamos de forma equivocada, mas sim de algo que sentimos sem muita explicação e não nos fazem muito bem ou pelo contrário nos dão uma alegria enorme. Estar perto de alguém sem muita explicação também pode gerar uma energia que não sabemos explicar, só sentir.

meditaçãoEnfim, vou contar um segredo.

Nós sentimos isso todos os dias e em vários momentos. O que acontece é que vivemos num modo “automático” ou ainda “rápido automático” que não temos tempo de sequer perceber as coisas mais óbvias que acontecem ao nosso redor.

Essa é a forma mais rápida de vivermos uma vida sem significado, sem realizarmos os nossos sonhos. E o pior, ainda somos capazes de colocar a culpa em outra pessoa, transferindo a nossa responsabilidade de ser feliz para alguém.

“Enquanto você para e espera…Eu ando, invado…Eu abro a porta e entro”

(Esquecimento – Skank)

Leonardo Veloso

Coach , KidCoach, Advanced PNL

Autor do Blog: www.depaiprapais.com.br

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *