Eleitos por brasileiros, queijos demandam cuidados específicos

O queijo é um alimento poderoso, com muitas proteínas. Na média, em 100 g há muito mais cálcio do que em um copo de leite, já que são necessários 10 L do líquido para produzir 1 kg do alimento.

Entre os queijos preferidos dos brasileiros estão a muçarela, o queijo prato e o parmesão. A muçarela popularizou-se nas coberturas de pizza, e uma fatia de 30 g tem 80 calorias. O prato é para sanduíches e amarelado por causa do corante de urucum. As calorias são mais modestas: 53 em uma fatia. O mais calórico, o parmesão, é duro por ter pouca umidade e leva um ano para chegar ao ponto ideal e adquirir um sabor forte.

O queijólogo Disney Criscione dá algumas dicas sobre a escolha e o consumo dessa iguaria. “Uma vez abertos, todos os queijos devem ficar sob refrigeração. Mesmo aqueles que no mercado não estavam na geladeira”, orienta. A casca não existe em todos os queijos, mas serve como proteção. O minas frescal, ou branco, por exemplo, tem menos gordura, só 16%, e é o que tem mais umidade, por isso estraga mais fácil, em cerca de três dias.

Acondicionamento. Para guardar o queijo em casa, comece lavando as mãos. “Lave-as bem, assim como queijo, e coloque-o na embalagem após escorrer o soro. O importante do frescal é não tirá-lo da geladeira. Quem não tem queijeira pode usar outro reipiente que vede bem”, explica.

Se o queijo ficou esverdeado por fora, com fungo, o ideal é cortar a parte contaminada. “Se o queijo se apresentar desse jeito, está com contaminação. Provavelmente estará com mofo superficial. Se o mofo apareceu há pouco tempo, deve-se cortar o pedaço que está ruim. O resto pode ser consumido, porque o fungo demora a migrar”, explica.

Também é importante conferir sempre a data de validade dos queijos. Apesar de alguns durarem até um ano quando fechados, depois de abertos devem ser embrulhados em filme plástico e guardados em geladeira para consumo em até 15 dias.

Entre os queijos considerados brasileiros estão o requeijão cremoso e o tipo culinário mais firme, que resiste a forno e fogão. O queijo de coalho, criado no Nordeste, é bem salgado e não derrete, mesmo quando assado ou frito. “O queijo é um produto que vai bem com muita coisa, mas especialmente com pães, frutas e vinho. Os alemães comem com cerveja, e eu aprecio muito com café”, comenta Disney.

Congelamento
Dúvida cruel
. De modo geral, os queijos não devem ser congelados pois sua textura se desfaz durante esse processo. A forma de aproveitar um queijo congelado é usá-lo numa sopa para dar sabor, por exemplo.

Características devem ser respeitadas

De maneira geral, os queijos podem ser guardados na embalagem original – mas, quando aberta, é importante verificar a informação no rótulo que é a validação definida pelo laticínio.

Para quem gosta de armazenar o queijo fatiado ou picado, ele pode ser guardado em um recipiente de plástico com tampa e também colocado no refrigerador. Quando a borda do queijo está esbranquiçada significa que há nele mofo ou levedura. Para isso, basta lavá-la e enxugá-la. Não é recomendado comer a casca do queijo, por exemplo a do parmesão.

O queijo pode mudar de cor quando fora da geladeira, pois, ao ser exposto ao oxigênio, ele oxida. Mas a mudança é apenas para uma cor amarela um pouco mais forte. Se um queijo tipo minas frescal mudar para a cor verde, por exemplo, é sinal de que ele está estragado.

OTempo

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *