Desapegue-se de si mesmo e seja feliz

É triste começar um texto sobre notícias tristes de jovens que tem tirado a própria vida ao cometerem suicídio. E o assunto sempre vem junto com a referência de um jogo ou um seriado recente.

Os julgamentos tem sido vários, inflamados, tristes, carinhosos, raivosos, sendo de qualquer forma cercado de pré-conceitos. O fato é que um jovem retirar a própria vida é algo que preocupa, já que acreditamos que existem várias oportunidades pela frente, independente da situação social ou financeira.

As frases que geralmente ouço são “Nossa…como um jovem que ainda vai começar a vida faz isso?”, “Tão novo e faz uma bobagem dessa”, “Já devia ter algum tipo de problema e não percebemos”.

O próprio seriado que é citado nas redes sociais coloca essas perguntas em diversos momentos. 

Enfim, a minha contribuição para esse debate é pensarmos efetivamente sobre os motivos de julgarmos as outras pessoas. E como isso influencia diretamente nesse momento.

Percebam que estamos sempre julgando os outros e exatamente por isso damos muito valor as opiniões alheias. Abrimos mão da nossa própria identidade para parecermos aquilo que outras pessoas ou a sociedade nos cobra diariamente.

A questão é começar esse trabalho de não julgamento não pelos outros, mas por nós mesmos. Vamos iniciar deixando de julgar a nós mesmos. Pare um minuto e sinta como você se cobra ou mesmo como faz isso de outras pessoas.

Se for o caso, relacione as principais cobranças que você faz a si mesmo. Talvez tenha tanto tempo que não pensa em você que nem consiga realizar isso. Nesse caso relacione aquilo que você mais cobra dos outros.

gazetaVocê pode não acreditar, mas aquilo que mais exigimos dos outros é geralmente aquilo que não temos conosco ou que não estamos realizando como gostaríamos. Não confunda aquilo que os outros querem de nós com o que realmente somos.

Esse exercício vai te ajudar a perceber como tem julgado as outras pessoas a partir de si mesmo. E o que esse julgamento está trazendo de resultados positivos. Você fica feliz quando julga outra pessoa? E quando te julgam?

Comece esse exercício em casa. A partir do momento que fizer a lista da forma como julga as outras pessoas vai perceber o que pode melhorar em você e assim poderemos efetivamente mudar essa situação.

Julgue menos, cobre-se menos, conheça-se mais e seja feliz.

Leonardo Veloso

Coach , KidCoach, Advanced PNL

Autor do Blog: www.depaiprapais.com.br

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page