Curta de pós-graduando da UFU participa de festivais internacionais

Filme nasceu de oficinas realizadas em escolas desde 2002. (Foto: Divulgação)

O curta-metragem “Uótizap”, dirigido por Marcelo Branco, formado em 2000 em Artes Visuais pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e mestrando no Programa Pós-Graduação em Tecnologias, Comunicação e Educação da Faculdade de Educação da UFU (PPGCE/Faced), foi exibido em mais de 10 festivais nacionais e internacionais. O filme trata da história de uma menina que disputa a atenção do pai com o smartphone.

O fato de abordar o tema do vício digital, considerado um problema da sociedade contemporânea, e não conter falas possibilitaram ao curta a inserção em festivais de cinema de diversos países, como Austrália, Estados Unidos, Paquistão, Malta e Grécia. “A gente já tinha em mente que seria uma animação de um minuto, porque têm vários festivais que têm essa categoria do minuto, e que seria uma história sem diálogos, porque ela poderia ser entendida em qualquer país”, explica Marcelo Branco. “Uótizap” também figurou em mostras de estados brasileiros, como o Anima Multi 2015 (Festival Internacional de Animação para Internet), Cinevana Rio 2016 (RJ), FestCineAmazônia 2015 (RO), Mostra de Cinema Caratinga 2016 (MG) e Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis (SC).

Inspirado pelo programa de mestrado, Branco resolveu contar a história do curta de outras formas com caráter transmídia e publicou o material em história em quadrinhos na “Social Comics”, serviço de conteúdo por demanda que reúne publicações do gênero. “Pela questão do mestrado que é em Tecnologia, Educação e Comunicação eu aproveitei o tema do curta. A linguagem da tecnologia aliada à comunicação eu percebi que dava pra transformar a história e juntei com algumas outras e publiquei um e-book”, explica ele.

Origem do trabalho

Desde 2002 o pós-graduando realiza oficinas de animação no ensino fundamental e médio de escolas. As Oficinas F7 de Animação são realizadas pela Animare, uma associação de animadores e profissionais relacionados da qual Marcelo faz parte. De acordo com ele, a principal forma de financiamento das atividades é a Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais.

O curta nasceu no contexto das oficinas, onde as crianças e adolescentes realizaram os primeiros desenhos que iriam sobrepor as filmagens da Praça Tubal Vilela, em Uberlândia, para compor o material. “O filme eu apliquei na oficina e ele é feito a partir da técnica de rotoscopia. A gente faz a filmagem e a partir da filmagem é feito o desenho em cima pra captar a rota, o movimento do ator. Na oficina os meninos fizeram uns 20, 30 desenhos. Foi mais um esboço. Eles experimentaram a técnica, como é feita, viram ela na prática, mas depois eu fui e fiz a parte profissional”, diz Branco.

O filme de curta-metragem “Uótizap” pode ser visto através do site Vimeo e o e-book com a história em quadrinhos está disponível na plataforma paga “Social Comics”.

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page