Começam as obras que irão garantir água para 1,5 milhão de habitantes

Nesta quinta-feira (10), a Prefeitura de Uberlândia e o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) anunciaram o início da maior obra da história do saneamento de Uberlândia, o Sistema de Produção de Água Capim Branco, em implantação na Tenda do Moreno, com captação no rio Araguari.

Na oportunidade, foi assinado a Ordem de Serviço da implantação do Parque Linear do Córrego Lagoinha, com recursos do Programa Buriti, desenvolvido pela autarquia com o propósito de recuperar e proteger as nascentes das bacias hidrográficas que abastecem o município.

Capim Branco

O projeto de engenharia do Sistema de Produção de Água Capim Branco será implantado em três etapas, cada uma delas com capacidade de produzir 02 mil litros de água por segundo. As obras desta primeira etapa terão investimento de cerca de R$ 264 milhões, recursos obtidos junto ao governo federal por meio do empenho do prefeito Gilmar Machado a fim de assegurar ao Município a segurança hídrica que a população necessita.

“A obra ficará na história de Uberlândia. Vamos dar início a este projeto e quando a terceira etapa terminar, em 2050, não sei se ainda estarei vivo, mas temos que ter a coragem para começar”, disse o prefeito Gilmar Machado.

O Diretor do Dmae, Orlando Resende, ressaltou que em um momento de crise hídrica em todo o país, Uberlândia dá mais um passo para garantir água para as próximas gerações. “A primeira fase da obra, ao lado dos sistemas Sucupira e Bom Jardim, garantirá água para cerca de 1,5 milhão de habitantes”, disse. Segundo Resende, os índices levam em consideração o crescimento populacional de Uberlândia até 2038.

As obras em execução pelo Consórcio BT, Convap, Completa, vencedor de uma disputada licitação que contou com a participação de 14 empresas, duas delas internacionais, abrangem as seguintes estruturas: a captação de água, uma estação de tratamento para produção de 2 mil litros de água por segundo, 20km de adutoras, um reservatório de 15 milhões de litros e uma unidade de tratamento de resíduos.

Para se chegar à decisão de construir o novo sistema de produção de água, o Dmae contratou um estudo de alternativas para o abastecimento futuro de Uberlândia. Este estudo foi composto por projetos de engenharia e orçamentos que determinaram como ampliar a oferta de água.

A melhor alternativa técnica, financeira e ambiental apontada foi implantar mais um sistema de abastecimento, com captação no rio Araguari e na margem esquerda do Reservatório da Usina Capim Branco I, a 3,5 km à montante da barragem.

Parque Linear do Córrego Lagoinha

Com a assinatura da ordem de serviço nesta quinta-feira, as obras do Parque do Lagoinha poderão ser iniciadas de imediato. Com 34 mil m², o parque abrangerá os bairros Jardim Inconfidência e Vigilato Pereira. A obra, que será custeada com recursos do Programa Buriti, contempla a construção de uma academia ao ar livre, um playground, calçadas, ciclovias e um projeto de paisagismo.

Os recursos empregados na obra, da ordem de R$ 781 mil, são provenientes de um Termo de Ajuste de Conduta firmado entre o Dmae e o Ministério Público de Minas Gerais. O Dmae está aplicando na preservação do Córrego Lagoinha valores correspondentes ao período entre 1997 e 2008 em que estava em vigor a Lei Estadual 12.503 que antecedeu a criação do Programa Buriti. A Estimativa é que a obra seja concluída dentro de 180 dias. Finalizado, o parque será administrado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

 Segundo o secretário de Meio Ambiente, José Leandro, este é o terceiro Parque Linear que será criado pela atual administração. “Este projeto agora sai do papel e vai para execução”, disse. Ainda segundo ele, o projeto “Uberlândia te Quero Verde” estará alinhado à construção dos parques lineares, arborizando toda a cidade.

Secom

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page