Coluna do Maracanã – De 11 a 17 de Maio

De olho na tocha

Tour da Tocha Olímpica, que aconteceu em Minas Gerais, foi continuamente monitorado por agentes de 38 instituições de segurança pública e de defesa civil estaduais, federais e municipais. As duas unidades de comando e controle móvel (CICC Móvel) da Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS) e o Centro de Comando e Controle Móvel do Corpo de Bombeiros estiveram nas oito cidades de celebração da tocha e funcionou como centro de captação de imagens e como posto avançado de controle para tomada de decisões integradas rápidas. Deu tudo certo. Não detectaram a revolta da população por onde a tocha passou.

Investimentos

Os aportes constam em Protocolos de Intenções formalizados junto ao governo mineiro, por meio do Instituto de Desenvolvimento Integrado (INDI), vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (SEDE); a previsão é que sejam criados mais de 1,5 mil empregos diretos e indiretos em diversos segmentos econômicos, como indústria química, fabricação de produtos farmacêuticos, setor alimentício e de embalagens. O documento formalizado com maior aporte de recursos foi assinado com a OMPI do Brasil, pertencente ao conglomerado italiano Stevanato Group. A empresa planeja implantar unidade industrial, em Sete Lagoas, para fabricação de embalagens para a indústria farmacêutica; o investimento previsto é cerca de R$ 100 milhões e devem ser criados 250 empregos diretos

Imposto de renda será que pega mesmo os ricos?

Segundo dados Receita Federal referentes ao ano de 2014, os 10% mais ricos da população brasileira detinham 38% da renda tributável do país, além de 39% da renda bruta e 36% dos bens e direitos líquidos. Concentração de renda brasileira é considerada próxima da registrada em países como a Alemanha, Japão e Inglaterra, sendo que estes países possuem uma renda média bastante superior a nacional; informações referentes ao Imposto de Renda de 2015 deverão ser divulgadas nos próximos 180 dias

Chapa esquentou de vez para Eduardo Cunha

Juristas afirmam que defesa de Cunha não conseguirá reverter decisão do STF. Rogério Rosso (PSD-DF) é cotado para assumir a vaga

Vai doer no seu bolso

Não dirija mais usando o celular. A regra é clara. As multas de trânsito vão ficar até 66% mais caras no país e passarão por reajustes anuais com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) a partir de novembro, quando entram em vigor também outras alterações sancionadas pela presidente Dilma Rousseff e publicadas anteontem no “Diário Oficial da União” (“DOU”). Entre as novidades estão o agravamento e a criação de infrações, como encostar-se ao celular estando ao volante e se recusar a soprar o bafômetro.

No caso do telefone celular, já era proibido falar ao dirigir. Foram incluídos na legislação os verbos “segurar” e “manusear”, em uma tentativa de combater o uso das redes sociais com o carro em movimento. Além disso, a infração que antes era média ficou gravíssima. No ano passado, 141.996 pessoas foram multadas usando o celular enquanto dirigiam no Estado. Se fosse com as novas regras, elas precisariam desembolsar R$ 293,47, valor 244% maior que os R$ 85,13 que tiveram que pagar.

No caso da Lei Seca, além da criação de uma multa de R$ 2.934,70 para quem se recusar a soprar o bafômetro e a fazer qualquer outro teste para indicar consumo de álcool e outras drogas, o motorista que reincidir dentro do prazo de um ano terá que pagar o dobro do valor. No caso dos motoristas flagrados bebendo e dirigindo, haverá um aumento da multa, dos atuais R$ 1.915,40 para R$ 2.934,70 – em 2015, 12.628 motoristas foram autuados.

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *