Atualização deixa o novo WhatsApp com ‘jeitão’ de Snapchat

O WhatsApp anunciou ontem uma nova ferramenta para compartilhar fotos, vídeos e GIFs: o WhatsApp Status. Antes restrito a textos predefinidos como Disponível ou Ocupado, agora o status pode ser alterado como a criatividade mandar: vídeos curtos, GIFs animados e fotos, personalizados com textos, emojis ou desenhos.

A atualização vai começar pela Europa, mas aos poucos chegará a todos os usuários. Onde hoje aparecem abas de chamadas, conversas e contatos, vai aparecer a nova aba de status. Todos os contatos poderão ver as suas novidades durante o dia; cada atualização desaparece em 24 horas.

Essa característica de “desaparecimento automático” levantou críticas de que o WhatsApp se torna “o quarto Snapchat”, numa nova ofensiva do Facebook, dono do aplicativo, contra seu rival. O Instagram, que também pertence ao Facebook, também já tinha introduzido uma ferramenta parecida, com as “Minhas histórias”. Mas, se conseguir emplacar a nova função em um aplicativo que tem mais de um milhão de usuários, o Facebook pode, enfim, frear a adesão ao Snapchat.
No blog da empresa, o cofundador e CEO do WhatsApp, Jan Koum, disse que a ideia de reformular o recurso veio de conversas com o outro cofundador, Brian Acton. “Todo ano, quando eu e Brian pensávamos em projetos para trabalhar, acabávamos conversando sobre como poderíamos melhorar e atualizar a ideia original da funcionalidade de status, que, até então, era ‘somente texto’”, contou.

“Esse formato de compartilhamento em particular foi adotado pela indústria. Estamos trazendo isso ao aplicativo e tornando-o único para o WhatsApp”, disse um porta-voz da empresa, em comunicado enviado à reportagem. Ele ainda garante que o WhatsApp Status é confiável. “Nós nos certificamos de que qualquer atualização que você compartilhe seja enviada e recebida, até mesmo em condições ruins de conexão”.

Assim como as mensagens do WhatsApp, o Status é baseado nos seus contatos. “Isso significa que você só irá receber atualizações de status dos contatos da sua agenda que são usuários de WhatsApp”, afirmou.

NÚMEROS

158 milhões de usuários estão no Snapchat

600 milhões de pessoas no mundo usam o Instagram

1 bilhão de usuários têm WhatsApp em seus smartphones

Projeto de lei impede bloqueio de apps

Brasília. O plenário da Câmara dos Deputados está pronto para votar projeto de lei que impede a suspensão do funcionamento de aplicativos de celular, como o WhatsApp, em sanção aos provedores. A proposta é a segunda da pauta de requerimentos para que a matéria seja apreciada em caráter de urgência pelo plenário.

De autoria do deputado João Arruda (PMDB-PR), o projeto altera a lei que instituiu o Marco Civil da Internet, aprovado em 2014. Pelo texto, fica proibida a suspensão do acesso “a qualquer aplicação de internet pelo Estado”.

O projeto prevê que a punição se restringirá à advertência (com indicação de prazo para adoção das medidas corretivas) e multa de até 10% do faturamento do grupo econômico responsável pelo aplicativo (referente ao último exercício), considerando a proporcionalidade entre a gravidade da falta e a intensidade da sanção. A proposta também institui que a empresa estrangeira responderá solidariamente pelo pagamento da multa aplicada a sua filial no Brasil.

“Invariavelmente, a medida de suspensão de acesso a aplicações tem se mostrado ineficiente. Os casos notórios são o suspensão temporária do YouTube, no famoso caso (da ex-modelo Daniela) Ciccarelli, e recentes suspensões do aplicativo de mensageria WhatsApp”, argumenta o deputado João Arruda. Ele ressalta que a legislação já estabelece modalidades de sanção mais “efetivas”.

Prejuízo. Só no ano passado, o WhatsApp foi suspenso duas vezes por ordem da Justiça, por algumas horas. O deputado relator do projeto afirma que as medidas causaram prejuízo à comunicação e às atividades cotidianas dos cidadãos.

Isis Mota/otempo 
Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *