Assassino confessou que viu ‘oportunidade’ em grupo de caronas

Jonathan Pereira do Prado, de 33 anos, confessou em depoimento à Polícia Civil (PC) mineira que decidiu roubar o carro da jovem Kelly Cristina Camaduro, de 22 anos, após ver a oferta de carona feita pela jovem no grupo de WhatsApp que ele já fazia parte. O corpo dela foi achado na tarde de quinta-feira (2), dia de Finados, em uma área rural entre as cidades de Frutal e Itapagipe, no Triângulo Mineiro.

Conforme a corporação, o suspeito foi preso ontem a noite em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. Ele foi preso por latrocínio e confessou durante a madrugada que já estava no grupo e viu uma “oportunidade” para roubar um carro quando a vítima ofereceu a carona até a cidade mineira de Itapagipe, onde participaria de uma festa com o namorado.

Ainda de acordo com a assessoria de imprensa da PC, Prado confessou ainda ter usado uma corda para matar a jovem. O laudo da necrópsia ainda não teria sido concluído, porém, o site G1 já divulgou que a vítima teria sido estrangulada e asfixiada. O assassino estava foragido de uma unidade prisional desde março deste ano.

Morta por R$ 450

Além do assassinou, outras duas pessoas foram detidas pela polícia de São Paulo em bairros diferentes de São José do Rio Preto. A dupla, conforme a polícia mineira, foi presa por receptação, uma vez que um deles ficou com o celular de Kelly e o outro com as rodas do carro dela. O autor do homicídio disse ter vendido o aparelho telefônico por R$ 150 e as rodas por R$ 300.

Relembre

A jovem estava desaparecida desde a noite de quarta-feira (1). Ela desapareceu depois de dar uma carona para um desconhecido, combinada em um grupo de WhatsApp. De acordo com a Polícia Militar, o corpo de Kelly foi encontrado em um córrego, próximo ao KM 25 da rodovia MG-255. Ela estava seminua, vestida apenas com uma blusa. A família reconheceu o corpo, e a calça que ela usava no dia do desaparecimento foi encontrada a cerca de 3 km de distância.

A jovem saiu de Rio Preto, no interior de São Paulo, na quarta-feira e foi em direção à Itapagipe, para visitar o namorado, que mora em Minas. Ela participava de um grupo de caronas no WhatsApp composto de pessoas que costumam viajar entre as duas cidades e combinou de levar um casal desconhecido para a cidade mineira, no entanto, a mulher teria desistido na última hora.

“Quando ela chegou no local combinado, só o homem estava”, afirmou o delegado de Polícia Civil responsável pelo caso, Bruno de Paulo. O último contato de Kelly com a família ocorreu na noite de quarta-feira, por volta das 19h, quando ela parou para abastecer o carro em um posto de combustíveis na BR-153, em Nova Granada (SP). Depois disso, os familiares não conseguiram mais falar com a jovem.

O corpo de Kelly foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Frutal, onde serão realizados exames que vão apontar a causa da morte e se a jovem foi vítima de violência sexual.

Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page