Após agredir cunhada, homem é assassinado a tiros

Um homem de 35 anos foi assassinado a tiros pelo concunhado na tarde de domingo (8) em Monte Carmelo, no Alto Paranaíba, cerca de duas semanas após agredir a irmã de sua companheira. Após ser agredida, a cunhada da vítima teria instigado o companheiro, que estava preso na época, a fazer algo, quando ele prometeu que acertaria as contas para que ele “nunca mais batesse na mulher dos outros”. A suspeita foi presa em flagrante, porém, o autor dos disparos ainda não foi localizado pela Polícia Militar (PM).

Segundo a corporação, eles foram acionados por volta das 13h na rua Portugal, no bairro Montreal, onde Elton Carlos dos Santos foi baleado. Ele foi socorrido por familiares para Pronto-Socorro do município, onde deu entrada com duas perfurações de arma de fogo, uma no tórax e outra na cabeça, mas acabou não resistindo e faleceu pouco tempo depois.

Familiares do homem contaram para a PM que o atirador seria D.P.B., de 27 anos, casado com cunhada da vítima e que fugiu logo após os disparos. Ainda conforme os parentes, há cerca de 15 dias Santos e sua companheira tiveram um desentendimento e a irmã dela, de 25 anos, tentou intervir e acabou agredida com empurrões e enforcamento pelo homem assassinado.

Após a confusão, a cunhada da vítima teria dito que as coisas não ficariam daquele jeito. Dias depois a suspeita foi visitar o companheiro no presídio de Monte Carmelo e relatou a agressão que sofreu, sendo que o detento prometeu que iria “acertar” com Santos quando conseguisse a liberdade.

Envolvimento com a criminalidade

Durante conversa com os policiais, a mulher da vítima afirmou que sua irmã e seu cunhado seriam traficantes e autores de outros delitos. No celular da suspeita, a PM encontrou fotos em que ela aparece segurando armas, munições e substâncias semelhantes à maconha.

A corporação não soube precisar por que o possível autor dos disparos estaria detido na época da agressão aconteceu e nem quando ele foi solto. Buscas foram feitas pelo concunhado da vítima, mas até a manhã desta segunda-feira (9) ele ainda não havia sido preso.

O homem assassinado também tinha várias passagens policiais, ainda de acordo com a PM, por associação para o tráfico de drogas, lesão corporal, e outros delitos de trânsito e trabalhistas.

 otempo
Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Print this page